quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Hope


E quando tudo parece sem saída,
é preciso manter firme a esperança.
Porquê ter medo? Porque não nos deixamos ajudar?
Porque não ajudamos?
Porque não nos damos ao outro?
Porque não partilhamos e mostramos o nosso lado menos bom?
Porque é que não acolhemos o lado menos bom do outro?
Porque não damos o nosso melhor?
Porque deixámos de acreditar em milagres?
Porque deixámos de acreditar e de praticar o simples acto de acreditar?
Porque não nos aproximamos de nós mesmos?
Porque não nos aproximamos do outro?
Existem dias onde só fazemos perguntas.
Talvez existam também, dias onde só recebemos respostas.

Texto: Clara Marchana
Obra: Evelyn de Morgan "Hope in a Prison of Despair"

1 comentário:

Anónimo disse...

como dizem aqui`no worries`.todos os dias essas questoes surgem.a nossa vontade de ser perfeito,talvez.de superar a si proprio.

posso nao mudar o mundo mas mudo uma pessoa, a mim, a quem se cruza comigo....estou cheio de sono ja adormeci duas vezes a escrever isto estava a tentar um pensamento muito profundo, mas so me saiu isto.
e a historia do no such place as far away. se eu pensar em ir ter com alguem nao estarei ja la?(entretanto despertei).
hope foi uma palavra muito importante para mim ultimamente. mas pra mim tem sido uma coisa muito activa, aprender muitas coisas em pouco tempo.
estava quase a morrer dizem que é sempre a ultima a morrer ate que no meio deste frio gelado eu pedi: nao morras esperança! nao morras nunca. e por ti que eu corro.
M.