quinta-feira, 29 de julho de 2010

Fragmentos

Fragmentos,
de um texto, de um tempo e de um espaço que fala,
paisagens interiores que se tornam poesia física,
dançar a emoção.

A procura de um significado que não se chega a alcançar,
a espera,
à espera que o amor entre, saia, passe ou fique.
A falta de alguém, de alguma coisa, qualquer coisa que falta,
a metáfora móvel do que se sente.

Texto: Clara Marchana

1 comentário:

polittikus disse...

Forte, muito forte...