quinta-feira, 19 de março de 2015

Nublada


Noite nublada. Bruma caminhante por entre as árvores.
Sussurros de aves. Ela gostaria de saber falar como elas.
Não poderíamos falar todos como pássaros?
Nao poderíamos ao menos de vez em quando, aproximarmo-nos para os escutar? Darmo-nos esse tempo?
Serenarmos nessa condição a nossa condição, sem ambição, e de apenas estar presente.

Texto: Clara Marchana