segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Tanta coisa de saudade

Aquela saudade miudinha,
molha-parvos,
inquieta, pequenina,
meia escondida, 
ora dentro de mim,
ora não se sabe onde,
que se consola a si mesma, 
quando é concretizada,
que não precisa de mais nada,
um sentimento a que almeja,
a querer ser mais,
mais visível.
Saudades minhas.

Texto: Clara Marchana

Sem comentários: