segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

1 história por dia #9 ou a intuição sincera

Sinceramente foi a palavra,
sincero foi o estado que a invadiu numa tarde aparentemente pouco especial.
Quero ver a côr dos teus olhos, disse para si mesma,
não tinha ninguém à sua frente.
A frase saltou-se-lhe de rompão, quis pular-lhe do peito.
Sincera é a sensação que lhe escorrega no espírito,
sem tirar nem pôr,
sem nada a acrescentar.

Texto: Clara Marchana
Obra: Alphonse Mucha (1860-1939)

Sem comentários: