terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Corpo sem recados

Porque é Janeiro,
começo devagar,
movimento a terra do meu corpo,
corpo sem encaixe, sem lugar, sem nome.
Construção de estradas inacessíveis, corpo anónimo,
assim me vai sussurrando que quer estar,
sem recados, nem visões.

Texto: Clara Marchana
Obra: Claudio Valenti, Schiena Femminile

1 comentário:

arKana disse...

Que bom! :D é sempre refrescante vir aqui ler as tuas palavras!
Beijos

Sinceridade

Para ser sincera. Hoje sinto-me triste. Não sei bem porquê. Melancólica. Às vezes sinto mais a vida, filigrana de cristal fino. Olho par...