quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Como será voltar?



Como será voltar?

Voltar a casa é partir
Deixar-me levar
Seguir sem rumo
Sem saber quando tornar.

Voltar a casa é saber esperar,
depois correr,
e não saber quando regressar
Sentir a saudade que aperta,
como se tivéssemos deixado a pátria no fundo do mar.

Voltarei um dia aos braços da minha terra?
Terra inalcançável de outrora,
mas que agora, agora sim quero chegar.

Como será voltar?


Texto: Clara Marchana
Imagem: Filme The Wizzard of Oz (1939), realizado por Victor Fleming

5 comentários:

Juliett Farnesse disse...

o destino refere-se ao desengate não porque é incerto

sonoio disse...

precioso!

Anónimo disse...

olá clara, que lindo o teu poema de como será voltar. Gosto muito e sinto-o também-. espero que estejas bem! um abraço. é inspirador o teu blog :)
marina

m disse...

não era para ser anónima foi um erro de botôes no computadore. caramba.

Clara disse...

Olá Marina,
muito obrigada:) É bom saber que os textos ecoam e chegam ao outro.
Abraço para ti também*