segunda-feira, 7 de junho de 2010

À procura do mapa interno


Ela sente um silêncio à sua volta, sem eco.
Senta-se no chão de uma rua sem saída,
e fica à espera.
Pede para que lhe seja revelado o caminho por onde deve seguir e ser guiada.
Sente-se incapaz de tomar uma decisão.
Há já a algum tempo que caminha sem saber para onde vai,
e já não sabe se isso lhe faz bem.
Pede ajuda,
porque tem a sensação que caminha em círculos,
e não entende porque ainda ali se encontra.

Texto: Clara Marchana

2 comentários:

arKana disse...

por vezes sinto-me assim... mas se calhar por vezes também é preciso parar no fim de ruas sem saída e perceber por nós mesmos como chegámos até ali. Talvez, só depois disso, poderemos ler os sinais e entender os círculos que a vida dá.
Gosto muito da forma como escreves, parece levar-nos a viver o teu sentimento das coisas... parabéns!
Beijinhos

Clara disse...

Obrigada Arkana :-)

É...como dizes, temos de perceber por nós mesmos como chegámos até ali.
E com muita paciência tentar escutar o que tem aquele caminho para nos dizer, para nos sussurrar.

beijinhos*