terça-feira, 29 de setembro de 2009

Emergir



Dia que amanhece, tristeza que acompanha,
melancolia do passado,
revoltas no presente mastigadas lentamente.
Olhares no vazio, que se cruzam quando passeio pela cidade,
uma cidade esgotada e seca.
E eu não gosto quando não me respondes.
Quantos mal entendidos conseguimos criar, tanta coisa que deixamos a meio, inacabada.
Por isso prefiro não falar. Mas falaria de tudo abertamente, mas por vezes não o faço, espero um momento certo, espero sempre demasiado tempo, espero sempre tanto.
Depois chego a pensar que há coisas que não devem ser ditas, devem permanecer indizíveis e pacientemente maturadas, transformadas, coisas onde somente o tempo poderá falar por si.

Texto: Clara Marchana
Fotografia: Zena Holloway

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Transformações

Iluminura de Hildegard von Bingen (1098-1179) "The tree of life"

Saudades de me sentir,
de escancarar as portas e as janelas da minha casa,
e bocejar enquanto vejo o pôr-do-sol.

Envelhecemos porque nos fechamos e eu quero sentir o cheiro a terra molhada,
rir de mim, rir para o céu, rir por falar sozinha e escutar-me a confessar à terra e às árvores as experiências que ainda não entendi,
porque nos fecham envelhecemos, e eu quero abrir a porta, não quero fechá-la, quero abri-la ainda mais, arrancá-la da sua existência como porta, e fazer dela: mesa, jangada ou lenha para fogueira numa noite de São João.

Texto: Clara Marchana


quarta-feira, 16 de setembro de 2009